quinta-feira, junho 11, 2009 | Posted in , , , ,


"Nessa altura, o Velho começou a responder às minhas perguntas. Era como um deles, mas não era um deles."


Como seres humanos que somos, tendencialmente (quase sempre) vivemos em grupo, inseridos numa comunidade que, mesmo não sendo a perfeita, é aquela em que estamos e aquela à qual, talvez por casualidade ou condicionalismo, decidimos pertencer, mas ao mesmo tempo não somos iguais por esse facto, somos diferentes pois cada um é um só, diferente de todos os outros, singular na maneira de ser, de ver, de agir...

Comments

6 responses to "UM SER"

  1. pinguim On 11 junho, 2009 23:54

    Viver em sociedade não é sinónimo de "carneirice"; é o somatório dos individualismos que constitui a sociedade.
    Abraço.

     
  2. Daniel Silva (Lobinho) On 12 junho, 2009 00:17

    E, todavia, precisamos de pontes, ou seremos ilhas na nossa unicidade e diferença.

    E essas pontes podem ser feitas pela aceitação, nao apenas da diferença, mas também da nossa cegueira em nao aceitarmos que há muito mais para além daquilo que pensamos.

    Estabelecer pontes, que vao fazer com que as diferenças se esbatam formal e substancialmente (ex. tentar disseminar o preconceito por atitudes de coerencia de vida mas sobretudo pela aceitaçao e compreensão também de quem nos ve diferente, sem nos tentarmos impor), e sobretudo usando sempre a sensatez (e nao uma carta de reclamação de direitos e marchas que ainda confundem mais), parece-me ser o mais correcto para que morango azul continue azul, e o vermelho, continue vermelho, mas tal como tao bem ilustras pela belissima imagem, todos possam estar no mesmo prato, e nao dissociarem-me porque só ouvem um lado (por sinal sempre reacionario) acabando por perder sentido de auto-critica porque o espelho está deformado.

    Gostei muito do teu post e da imagem. Sermos diferentes, sim, mas sensatos para sermos iguais dentro das diferenças.

    Abraço grande

     
  3. Ezequiel Coelho On 12 junho, 2009 10:35

    Parabéns pelas cada vez mais apuradas palavras!
    Quanto às citações, seria interessante saber de onde provêm (autor e obra)...

    Abraço***

     
  4. Francisco Reis On 12 junho, 2009 12:55

    bem que eu comia mais morangos se eles fossem azulinhos eheh.

    De facto acabamos sempre por ter algum em comum apesar das diferenças e era nisso que nos deviamos concentrar. Naquilo que nos torna unos e não naquilo que nos separa, difere ou cataloga

     
  5. F3lixP On 12 junho, 2009 13:10

    E ainda bem! Seria tramado se fosse ao contrário!

    Bom fim de semana senhor X! ;)

     
  6. x_bear On 12 junho, 2009 19:21

    Antes de mais obrigado pelos comentários e respondendo à chamada de atenção do meu caro Ezequiel relativamente à origem das citações que me fizeram desenvolver o post (este e o anterior), pois bem, para informação de todos os meus caros , são citações retiradas de duas obras de Luis Sepúlveda , neste post a citação pertence ao " O Velho que lia romances de amor" e no post anterior " História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar". São duas obras indicadas por alguém por quem tenho uma enorme estima e mostra-me que realmente por vezes o caminho ou os vários caminhos estão mesmo à nossa frente, basta para tal querermos.Não me quero alongar mais, um forte abraço a todos****